Capitalismo Sem Capital

09 Feb 2018 14:57
Tags

Back to list of posts

is?i_XYYELOfAKo0RW2kvHvijZPwmcyAZwdvCGxTE7a8fc&height=200 Em ano eleitoral, no momento em que os candidatos e seus partidos deveriam se preparar pra apresentar aos eleitores seu programa de governo, as questões relativas ao crescimento econômico ganham seriedade. Meu tópico, hoje, são as transformações que vêm ocorrendo nos investimentos e tuas consequências pro progresso e para a orientação das políticas públicas.Baseio-me por aqui no ótimo livro (do qual tomei emprestado o título) Capitalism without Capital: the Rise of the Intangible Economy, de Jonathan Haskel e Stian Westlake. Os autores tratam do continuado deslocamento de investimentos tangíveis - máquinas, objetos e construções - pros intangíveis, por exemplo software, pesquisa e desenvolvimento, design, pesquisas de mercado, otimização de processos produtivos, treinamento, marca, canais de distribuição, além de outros mais. Trata-se de um recurso de alongado tempo, que se acelerou fortemente nas últimas quatro décadas e que tende a prosseguir. Na economia globalizada atual, são principalmente os níveis e a característica dos investimentos em intangíveis que explicam as histórias de sucesso ou de fracasso de corporações e bem como os diferenciais de progresso econômico entre os países.E há evidências empíricas sólidas da correlação entre a participação de intangíveis nos investimentos e o grau de desenvolvimento e de avanço institucional. Ocorre que os investimentos em intangíveis têm certas características específicas que impõem desafios para tua materialização. Logo você receberá os melhores conteúdos em seu e-mail. Os pontos abordados nesse lugar têm impactos interessantes a respeito da agenda de políticas públicas para o desenvolvimento.A redução da importância dos investimentos em ativos tangíveis é mais um argumento grave contra as políticas de protecionismo e subsídios pra bens de capital. O assunto da ação governamental necessita de ser a infraestrutura para a formação e propagação do entendimento, que envolvem ações nas áreas de educação, desenvolvimento científico e tecnológico, web, tecnologia de intercomunicação e planejamento urbano. Enfim, os órgãos de fomento, principalmente o BNDES, necessitam preencher as de imediato citadas falhas de mercado, típicas dos intangíveis, que reduzem o montante de financiamento privado pra esse tipo de investimento.Em segundo, há aqueles grupos com resistência à lactose, glúten, açúcar e querem produtos gostosos. Assim como há o público jovem, muito preocupado com fitness, que quer suplemento, barrinha, colágeno, uma série de produtos. E assim como há o pessoal da melhor idade, que quer cem por cento particularidade de existência. Como gerir corporações com tópicos tão distintos, como faz pra não se perder? Sou colecionar de pensamentos. Tenho um que diz desse modo: ‘ninguém jamais fez alguma coisa grandioso sozinho’. Todos que venceram foram capazes de construir equipes com profissionais competentes e comprometidos pra conseguir um consequência comum. Em cada uma destas organização temos profissionais distintos focados só naquele negócio. Um dia eu precisei fazer tudo, precisei aparecer cedo, abrir o colégio, preparar o cafezinho para o aluno, ceder o cafezinho, doar aula, cobrar a mensalidade, ganhar a fatura, pagar as contas.Era a organização do eu sozinho. À proporção em que o negócio cresce você vai tendo que ser seletivo naquilo que faz e naquilo que não faz. Hoje, tem algumas coisas que simplesmente me recuso a fazer. Participo de reuniões de conselho, reuniões estratégicas, lançamentos de produtos, campanhas. Todavia no operacional, não entro mais. Por outro lado, tenho apreensão de estar presente pela loja.O senhor se considera desapegado? Sofre quando vende uma empresa? A corporação que eu deveria ter mais apego foi a primeira que montei. Na minha inocência, eu amava tanto, que chegue a colocar a marca no meu nome civil. Ela estava só iniciando, era uma startup. Se o negócio fosse o superior fracasso, prontamente estava em meu nome. Era a organização que mais que eu deveria ter me apegado, todavia agi racionalmente e a vendi. O senhor lançou o livro Do Zero ao Milhão. Saiu mesmo do zero ou imediatamente nasceu com milhões?Assinalar o contrato na Junta Comercial2kt = dezenove.Dois/vinte e quatro = 0.OitentaAnúncios em carro#Fica a DicaA todo o momento fui do zero. Quando comecei a doar aulas de inglês não tinha suporte. Comecei pela mesa da sala de casa, era eu e o aluno, um investigando para cara do outro. Foi a primeira vez que dei aula pela vida. Daquele embrião é que surgiu a Wizard. Aluguei uma moradia, tinha duas ou 3 salinhas onde eu dava aula e minha mulher, meus pais, meus filhos moravam pela outra metade da moradia. Este é o maior homebusiness que neste momento vi até hoje. O lugar era empreendimento, moradia, cozinha, tudo.O que achou da reforma trabalhista? As nossas leis trabalhistas são da década de quarenta, do tempo do Getúlio Vargas. Aquele mundo agora não existe mais. Essa nova realidade, toda essa ordem econômica que todos nós estamos vivenciando hoje não são contempladas pelas leis atuais. Este atraso atrapalha a existência do empresário?Não só atrapalha como deixa o Brasil em uma localização totalmente pra trás. No ranking mundial nós estamos lá no encerramento da relação. O investidor estrangeiro, no momento em que vai abrir um negócio, ele tem o mapa do universo, começa a explorar as economias locais, as legislações, as tributações. Aí vê que o Brasil não é competitivo.

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License